Categoria: Sem categoria

Governo do Paraná integrará o Programa Acelera Foz

Anúncio foi feito pelo secretário estadual de Planejamento e Projetos Estruturantes, Valdemar Bernardo Jorge, durante reunião do CODEFOZ.

O Governo do Paraná vai somar-se às oito instituições públicas e privadas que integram a coordenação estratégica do Acelera Foz, programa para a retomada econômica e o desenvolvimento de Foz do Iguaçu. A participação foi discutida com o secretário estadual de Planejamento e Projetos Estruturantes, Valdemar Bernardo Jorge, em reunião do CODEFOZ (Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social), nessa sexta-feira, 27.

Resultado da integração de projetos de diferentes instituições, o Acelera Foz reúne CODEFOZ, Itaipu Binacional, PTI (Parque Tecnológico Itaipu), Prefeitura de Foz do Iguaçu, Sebrae, ACIFI (Associação Comercial e Empresarial), POD (Programa Oeste em Desenvolvimento) e Comtur (Conselho Municipal de Turismo). Seu objetivo é potencializar ações para atrair investimentos e diversificar a economia iguaçuense, em sete eixos e dezenas de ações prioritárias.

Valdemar Bernardo Jorge, apresentou o Plano de Desenvolvimento de Longo Prazo do Paraná.

Às lideranças da sociedade civil organizada, gestores públicos e vereadores, o secretário de estado apresentou o Plano de Desenvolvimento de Longo Prazo do Paraná (PDLP), elencou as principais ações governamentais para o crescimento integrado das regiões e recebeu demandas dos representantes iguaçuenses. Na plenária, também foi debatida a correlação entre o PDLP e o Acelera Foz.

“Recebo com muito carinho esse convite para que o governo passe a integrar o Acelera Foz e trabalharmos ainda mais alinhados na meta de fazer o bem comum”, declarou o secretário Valdemar Bernardo Jorge. Ele afirmou, ainda, que o Programa Oeste em Desenvolvimento e o Conselho de Desenvolvimento de Foz do Iguaçu servem como exemplos de governança para as demais regiões do Paraná.

Representantes da sociedade civil, gestores públicos e vereadores na reunião do CODEFOZ.

Parceria fundamental

Presidente do CODEFOZ, Felipe Gonzalez ressaltou que o Acelera Foz teve um papel essencial para a cidade enfrentar a emergência em saúde e destacou a participação do estado. “O programa foi importante para chegarmos até aqui, fortes e competitivos, ganhando agora essa parceria fundamental com o Governo do Paraná, grande reforço para que outras pautas se materializem, como a criação do Escritório de Atração e Recepção de Investimentos”, mencionou.

Vice-presidente da ACIFI e membro do Conselho de Desenvolvimento Empresarial e de Infraestrutura do Paraná, responsável pela agenda do secretário estadual em Foz do Iguaçu, Danilo Vendruscolo frisou que o Acelera Foz representa a junção de muitos esforços. “Enfrentamos essa crise causada pela pandemia com união. Agora temos os investimentos estruturantes que a Itaipu Binacional vem realizando e a retomada que vem com força. É o momento de mostrarmos as potencialidades e atrairmos mais e novos investimentos”, convocou.

Nessa direção, o superintendente do PTI, general Eduardo Garrido, fez um breve relato dos investimentos da instituição, por meio do Acelera Foz, em inovação, startups, tecnologia e inteligência. “É uma nova frente para captar recursos e dinamizar a economia da cidade, gerando empregos e crescimento. Foz do Iguaçu já é referência nacional em áreas de experimentação, por exemplo, o que mostra que as parcerias estão rendendo frutos”, avaliou.

O secretário de estado afirmou que o Programa Oeste em Desenvolvimento e o Conselho de Desenvolvimento de Foz do Iguaçu são exemplos de governança.

Paraná do futuro

Na reunião do CODEFOZ, o secretário Valdemar Bernardo Jorge detalhou o plano para desenvolver o Paraná em médio e longo prazo e apresentou um diagnóstico econômico atual e as metas para 2034. Informou que o objetivo é aumentar o PIB (Produto Interno Bruto) de todas as regiões do estado, de forma sincronizada, para elevar a arrecadação sem novos tributos, gerar empregos, reduzir desigualdades e melhorar a qualidade de vida dos paranaenses.

“Estamos atuando para que todas as regiões tenham conselhos de desenvolvimento, os quais serão responsáveis pelo planejamento das políticas públicas e por direcionar os investimentos do estado”, explicou. “Quem vai dizer o que precisa em infraestrutura e como serão aplicados os recursos serão o setor produtivo e a sociedade civil organizados nos conselhos”, explanou o gestor estadual.

Segundo o secretário de Planejamento e Projetos Estruturantes, o Paraná tem hoje o oitavo maior PIB per capta do país. Com o Plano de Desenvolvimento de Longo Prazo do Paraná (PDLP), a meta é chegar a 2034 na terceira posição, passando dos atuais R$ 38,7 mil para R$ 64,4 mil em Produto Interno Bruto por habitante. “São projeções factíveis com o planejamento que estamos seguindo e as políticas e investimentos que o governo está realizando”, concluiu Valdemar Bernardo Jorge.

(Codefoz)

Mercado Público: comunidade ganha mais tempo para participar da…

Implantação do espaço foi debatida em reunião do Programa Acelera Foz com gestores de instituições públicas e privadas, empresários e vereadores.

A gestão do Mercado Público de Foz do Iguaçu foi discutida em reunião do Programa Acelera Foz, nessa sexta-feira, 2. O projeto foi apresentado pela direção do Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR), que está com consulta pública aberta e esclarece dúvidas sobre o edital que será lançado para concessão dos serviços de implantação, manutenção e melhor aproveitamento econômico do espaço.

Na plenária do Acelera Foz, representantes de instituições públicas e privadas, empresários e vereadores deram contribuições sobre o funcionamento do mercado, a ser inaugurado no endereço da antiga Cobal, na Vila A, e fizeram perguntas sobre a sua implantação. Todas as propostas serão analisadas por uma equipe técnica que atua no processo.

A partir desse diálogo, o PTI-BR decidiu prorrogar até 19 de julho o prazo da consulta pública on-line, que estava prevista para terminar neste dia 5. Usando o formulário disponível em https://www.pti.org.br/pt-br/avisos-de-editais, toda pessoa interessada pode propor modificações na minuta ou mesmo dar sugestões sobre as futuras atividades do Mercado Público.

Comunidade tem mais tempo para participar da consulta aberta pelo PTI – Foto: Divulgação

“O espaço está na fase final das obras, sendo mais uma ação do Acelera Foz que estamos cumprindo”, destacou o diretor-superintendente do PTI-BR, general Eduardo Garrido. “É um investimento que tem tudo para movimentar a economia de Foz do Iguaçu, atrair mais investimentos e gerar renda para nossos produtores e empreendedores”, ressaltou.

Ele explicou que o edital de concessão do mercado somente será lançado após a análise técnica das sugestões recolhidas na consulta pública. “Nosso objetivo na reunião do Acelera Foz foi alcançado, que foi escutar as instituições, o setor empresarial e os vereadores. Todos temos o mesmo interesse: somar esforços para o bem de Foz do Iguaçu”, sublinhou Garrido.

Integração das pessoas

Diretor administrativo do PTI-BR, Flaviano da Costa Masnik explicou que o modelo de mercado público segue experiências de outras cidades do país. Ele frisou que os 72 boxes serão locados após a escolha da empresa que vai gerir o espaço. O mix de atividades comerciais deverá abranger gastronomia, empórios, serviços, hortifrutigranjeiros e suvenires, entre outros.

“O mercado está sendo pensado para a integração da sociedade, com os boxes conectados à área externa para contemplar eventos e atividades culturais”, expôs. “Além do atrativo, o objetivo é trazer empregos e desenvolvimento. É um trabalho árduo de muitas instituições parceiras para a cidade de Foz do Iguaçu”, enfatizou Flaviano.

Projeto do Mercado Público de Foz do Iguaçu – Foto: PTI-BR

O presidente do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (Codefoz), Felipe Gonzalez, enalteceu o diálogo em busca dos melhores resultados para a população. “Foram propostas muito ricas e de conteúdo. O conselho tem esse papel de reunir as instituições públicas e privadas, a representação política e o setor empresarial para conversar, debater e avançar juntos”, ponderou. 

Contribuições

Na reunião, o presidente da Câmara Municipal, vereador Ney Patrício, defendeu que o mercado tenha um modelo “sustentável e apropriado para o momento”. Ele também agradeceu à Itaipu Binacional, empresa que fez o investimento de R$ 14,5 milhões na obra. “É um legado que a Itaipu está deixando de grande relevância para a cidade”, declarou.

Integrantes da Coordenação Estratégica do Acelera Foz e vereadores – Foto: Divulgação

O presidente do Legislativo destacou as contribuições e perguntas que foram feitas pelos parlamentares na reunião do Acelera Foz, ressaltando que a Casa de Leis quer colaborar no debate sobre o Mercado Público. “Reforço o convite para a audiência pública que a Câmara irá realizar sobre o espaço, que contou com a assinatura de todos os vereadores, demonstrando a vontade de fazermos o melhor pela cidade”, disse.

Smart Vitrine

Aos participantes da reunião do Acelera Foz, foi apresentado o edital Smart Vitrine, do Programa Vila A Inteligente. Essa iniciativa compõe as ações para tornar Foz do Iguaçu um polo de inovação e referência em tecnologias para smart cities. “Trata-se de uma vitrine tecnológica de soluções para cidades inteligentes”, salientou o diretor de Negócios e Inovação do PTI-BR, Rodrigo Régis Galvão.

O edital Smart Vitrine selecionará empresas e startups para instalação, validação das tecnologias, divulgação e abertura de mercado. O gestor evidenciou as condições da Vila A e as potencialidades do município para desenvolver o ecossistema de inovação, com a criação da plataforma de negócios Hub Iguassu, para atrair negócios. “Não só vamos diversificar a economia como reter talentos em Foz do Iguaçu”, frisou Rodrigo.

Presenças

Além dos representantes das oito instituições que integram a Coordenação Estratégica do Programa Acelera Foz, empresários e gestores públicos e privados, participaram da reunião on-line e presencial os vereadores Admilson Galhardo, Adnan El Sayed, Alex Meyer, Anice Gazzaoui, Cabo Cassol, João Morales, Kalito Stoeckl e Yasmin Hachem.

Central do Empreendedor já realizou 13,4 mil atendimentos neste…

Serviços são essenciais para a retomada econômica da cidade. Resultados foram apresentados em reunião do Programa Acelera Foz.

Alvará, crédito, formalização como microempreendedor individual (MEI), capacitação, consultoria e serviços empresariais em um só lugar. É o que oferece a Central do Empreendedor de Foz do Iguaçu, que já realizou 13,4 mil atendimentos em pouco mais de cinco meses, entre janeiro e o começo de junho deste ano.

Os resultados do centro de serviços para pequenos e médios empresários, MEIs e empreendedores iguaçuenses foram apresentados na plenária da Coordenação Estratégica do Acelera Foz, nessa sexta-feira, 18. O programa reúne oito instituições públicas e da sociedade civil organizada, tendo como ênfase a retomada econômica.

“A plenária do Programa Acelera Foz é uma instância privilegiada e qualificada para se discutir os rumos e as ações para desenvolvimento da nossa cidade, pois congrega os setores público e privado”, enfatizou o presidente do Codefoz, Felipe Gonzalez. O conselho é responsável por coordenar o Acelera Foz.

Na reunião, dados de atendimentos, funcionamento e parcerias da Central do Empreendedor foram detalhados pela secretária municipal da Fazenda, Salete Horst. Instalada no Centro Integrado de Desenvolvimento (CID), a central é a evolução de um trabalho de dez anos, desde a criação da antiga Casa do Empreendedor, em 2011.

Conforme Salete, o espaço de serviços é parte do programa Foz Desenvolve, resultado da parceria entre instituições que integram o Comitê Gestor de Desenvolvimento Municipal (CGDM). “Foi mais do que uma evolução, foi uma transformação”, disse. “Saímos de um espaço que atendia apenas um segmento para esse ambiente atual que oferece todos os serviços de que o empresário iguaçuense necessita.”

Secretária da Fazenda, Salete Horst; presidente da Câmara, Ney Patrício; secretário do Codefoz, Rodiney Alamini; e presidente do Codefoz, Felipe Gonzalez.

Na apresentação, a gestora afirmou que a busca pela Central do Empreendedor é intensa. Somente no ano passado, foram 30 mil atendimentos, informou. “A central foi consolidada no momento certo, porque veio a pandemia e ela vem sendo fundamental para ajudar na retomada da nossa economia”, pontuou Salete Horst.

No espaço, atuam de forma integrada programas e instituições como o Sebrae, Junta Comercial do Paraná, Foz Juro Zero, Destrava Foz, Casa do Empreendedor, Banco do Empreendedor e Escritório de Compras. “Optamos por vir para a ACIFI porque a entidade já trabalha e está conectada aos empresários da cidade”, expôs.

Pelo desenvolvimento

Presente à reunião do Acelera Foz, o presidente da Câmara de Vereadores, Ney Patrício (PSD), ressaltou que a Central do Empreendedor se tornou ainda mais importante neste momento pandêmico. Com ela, “o município estava preparado para essa passagem difícil que estamos enfrentando”, frisou. “Com certeza, a retomada econômica vai contar com esse trabalho”, completou.

“Eu participo de uma categoria profissional que lida diretamente com empresários, que são os contadores”, relatou o vereador. “Eles têm dado um retorno importante reconhecendo que esse instrumento ajudou não só o empreendedor como também os profissionais que trabalham em torno dele”, salientou o presidente da Câmara.

Segundo o parlamentar, a Central do Empreendedor pode contar com apoio legislativo e gestão política nas ações governamentais visando ao desenvolvimento da cidade. “Em especial, para os pequenos empreendedores”, declarou Ney Patrício.

Resultados da Central do Empreendedor foram apresentados durante reunião do Acelera Foz.

Sebrae, parceiro fundamental

Consultor do Sebrae, Luiz Marcelo Padilha complementou o balanço das ações da Central do Empreendedor. Entre os exemplos que usou, citou o Foz Juro Zero, iniciativa que mais liberou crédito no Brasil, proporcionalmente, totalizando R$ 13 milhões em 2020. A cidade hoje é a oitava do país mais célere na abertura de empresas, anotou.

Em sua explanação, defendeu que há referenciais além dos quantitativos. “Temos que olhar as pessoas, os empreendedores que são beneficiados e estão por trás de todos esses números. Quem busca a Central do Empreendedor é atendido com acolhimento, não fica mais em fila na rua, sob sol e chuva”, expôs.

Retomada do turismo

Na reunião do Acelera Foz, também foram debatidas ações de promoção do turismo. A superintendente de Comunicação Social e de Turismo da Itaipu Binacional, Patrícia Iunovich, apresentou proposta para a nova etapa da campanha Vem Pra Foz, que no ano passado alavancou resultados importantes para o Destino Iguaçu no contexto da pandemia.

“Estamos construindo uma campanha de promoção do destino ouvindo quem está à frente da atividade e atua diretamente no turismo”, sublinhou Patrícia. Os participantes da reunião apresentaram sugestões sobre o conceito, a abrangência e o momento adequado para o lançamento da ação promocional.

União por Foz

O Acelera Foz tem a coordenação estratégica do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Foz do Iguaçu (Codefoz), Itaipu Binacional, Parque Tecnológico Itaipu (PTI), Prefeitura de Foz do Iguaçu, Sebrae, Programa Oeste em Desenvolvimento (POD), Associação Comercial e Empresarial (ACIFI) e Conselho Municipal de Turismo (Comtur).

Acelera Foz aposta na retomada da economia de Foz do Iguaçu, com geração de emprego e renda – Foto Marcos Labanca

Acelera Foz completa 1 ano com investimentos na retomada…


Desafios do presente e legado para o futuro: balanço das realizações do programa inclui grandes obras, incentivo ao turismo, crédito, apoio a empreendedores e inovação.

A responsabilidade do presente e o compromisso com o futuro de Foz do Iguaçu uniram oito instituições do poder público e da sociedade civil organizada para realizar o Acelera Foz. Lançado em 13 de maio de 2020, o programa completa o seu primeiro ano com resultados, injeção de recursos e desafios pela frente.

O programa surgiu com dois principais objetivos. Primeiro, buscar soluções para problemas do momento e contribuir para a retomada da economia em um contexto de pandemia do novo coronavírus. A outra meta é deixar um legado para Foz do Iguaçu, a partir de projetos estruturantes e investimentos transformadores.

O Acelera Foz tem a coordenação estratégica do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Foz do Iguaçu (Codefoz), Itaipu Binacional, PTI, Prefeitura de Foz do Iguaçu, Sebrae, Programa Oeste em Desenvolvimento (POD), Associação Comercial e Empresarial (ACIFI) e Conselho Municipal de Turismo (Comtur).

Presidente do Codefoz, Felipe Gonzalez destaca os esforços que foram somados. “Comemoramos a união das instituições públicas e privadas em torno do Acelera Foz. É um trabalho em benefício da cidade, procurando aglutinar os interesses coletivos e que tem, de fato, ajudado em muitas conquistas alcançadas”, reflete.

Coordenação Estratégica do programa reunida para definir projetos e ações – Foto: divulgação

A coordenação estratégica do programa definiu 40 ações prioritárias em sete eixos. Já de início, para ajudar o turismo iguaçuense, um dos mais prejudicados pela crise sanitária, o Acelera Foz elaborou protocolos de segurança, por meio de suas instituições, campanhas nacionais de marketing e editais de inovação para o setor.

“É de fundamental importância o turismo integrar os eixos estruturantes do Acelera Foz”, enfatiza Paulo Angeli, secretário de Turismo e Projetos Estratégicos. “O programa tem muito a contribuir para a retomada da atividade econômica de nossa cidade, com um trabalho eficiente e conjunto das instituições participantes”, afirma.

Itaipu e as obras estruturantes

Foz do Iguaçu tirou do papel grandes obras que eram gargalos históricos para o desenvolvimento, a mobilidade urbana e o comércio internacional. A Ponte da Integração Brasil-Paraguai, ligação de Foz do Iguaçu a Presidente Franco, está com 52% das obras concluídas e R$ 122,5 milhões já investidos – 38% do total previsto.

“Com muita satisfação, a Itaipu vê a união de Foz do Iguaçu, simbolizada pelo Acelera Foz, rendendo tantos frutos para a cidade”, sublinha o coronel Robson Rodrigues de Oliveira, chefe de gabinete do diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional. “A empresa reitera o seu compromisso e vai continuar colaborando em diferentes frentes, sobretudo para o eixo de obras estruturantes”, pontua.

Entre as grandes obras da Itaipu Binacional, a Ponte da Integração está com 52% dos trabalhos concluídos – Foto: Rubens Fraulini/Itaipu

Duas grandes intervenções no Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu já foram entregues para a comunidade: a ampliação da pista de pouso e decolagem e a duplicação do acesso e da área de manobra do terminal. A Perimetral Leste, em andamento, conectará a Região Sul da cidade à BR-277, retirando o trânsito de veículos pesados das vias turísticas.

Apoio e crédito ao empreendedor

O Acelera Foz soma R$ 4,3 milhões em investimentos na aceleração de startups, pequenas e microempresas e novos produtos. O Banco do Empreendedor atendeu 3.065 firmas e concedeu R$ 18,7 milhões em crédito. O programa Foz Juro Zero garantiu R$ 13,4 milhões em empréstimos, beneficiando 2,7 mil empreendedores. Para auxiliar empresários, foi criada a Central do Empreendedor e ofertadas mais de 60 ações de capacitação.

“Com o Acelera Foz, foi possível enfrentar os efeitos da crise atuando em várias frentes”, analisa o presidente da ACIFI, Faisal Ismail. “Isso inclui de crédito para empresários a editais para a expansão dos negócios, unindo o setor privado, a universidade e o poder público. Foi possível preservar empregos e empresas”, frisa.

A Central do Empreendedor oferta serviços para todos os tipos de empresas – Foto: divulgação

Para o consultor do Sebrae Marcelo Padilha, o programa foi fundamental para dar apoio no momento em que muitos empreendedores foram prejudicados devido à pandemia. “Num curto espaço de tempo, foi possível organizar ações de apoio com crédito, empréstimos facilitados, capacitações e orientações”, enumera.

Bairro público inteligente

Foz do Iguaçu será referência nacional com o projeto Vila A Inteligente, transformação que trará mais qualidade de vida para a população. A modernização abrange semáforos, pontos de ônibus, monitoramento de veículos, reconhecimento facial de motoristas e de placas de automóveis, e aplicativos que ajudarão a melhorar os serviços.

Moradores já sentem as melhorias com as tecnologias instaladas pelo projeto Vila A Inteligente – Foto: Kiko Sierich/PTI

“Os moradores já conseguem usufruir dos benefícios das tecnologias instaladas: luminárias, câmeras, semáforos e os pontos de ônibus inteligentes”, relata o superintendente do PTI, general Eduardo Garrido. “Unimos tecnologias, inovação e empreendedorismo para gerar empregos, impulsionar a economia e desenvolver a cidade”, completa.

Atração de recursos e logística

O Acelera Foz contempla o Escritório de Atração e Recepção de Investimentos, que visa a atrair novos recursos para o município e diversificar a economia. Outro projeto de grande impacto é o Novo Porto Seco Trimodal, que fará a integração dos modais rodoviário, hidroviário e ferroviário, com a extensão de um ramal da Ferroeste a Foz do Iguaçu.

Acelera Foz

Os sete eixos de desenvolvimento e a relação das ações prioritárias desenvolvidas pelo programa estão disponíveis em acelerafoz.org.br.

Coordenação do Acelera Foz debate projetos para o desenvolvimento

Ações foram discutidas por representantes do poder público e da sociedade civil que integram o programa de retomada econômica.

Representantes do poder público e da sociedade civil que integram a Coordenação Estratégica do Programa Acelera Foz debateram projetos e ações para o desenvolvimento do município. A reunião foi nessa sexta-feira, 30, de forma presencial e on-line.

No encontro, foi apresentado o andamento dos principais projetos executados por meio do programa e definida a abertura para a inserção de novas ações e demandas. O objetivo é incorporar iniciativas às ações prioritárias já norteadas para responder ao atual momento social e econômico.

Os gestores dos setores público e privado deram prosseguimento à elaboração do documento que será entregue para a Câmara de Vereadores com propostas para o desenvolvimento. A efetivação do Escritório de Atração e Recepção de Investimentos de Foz do Iguaçu também integrou a pauta.

“É importante que o programa tenha essa dinâmica e flexibilidade para reunir novas propostas e ideias para o crescimento de Foz do Iguaçu e a superação desse período pelo qual estamos passando”, frisou o presidente do Codefoz, Felipe Gonzalez. A entidade desempenha a coordenação do Acelera Foz.

Presente à reunião, o vice-prefeito de Foz do Iguaçu, Delegado Francisco Sampaio, destacou o comprometimento da gestão municipal com as medidas para reaquecer o turismo. “É um setor para o qual estamos muito atentos para a sua retomada, por ser um grande gerador de emprego e renda para a nossa população”, avaliou.

Evolução dos projetos

Integrantes das oito instituições da Coordenação Estratégica do programa relataram o status da execução das ações. Com base na matriz de responsabilidade, que prevê atribuições a cada órgão e entidade, o programa é focado em grandes obras, atendimento a empresários e oferta de crédito, fomento à inovação, bairro inteligente, atração de investimentos, retomada do turismo para o fometno de empregos e renda.

Reunião do Acelera Foz contou com participações presenciais e on-line – Foto: Reprodução

Chefe de gabinete do diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, o coronel Robson Rodrigues de Oliveira comemorou as obras já entregues e o andamento de outras realizações. Entre os serviços finalizados, que integram o Acelera Foz, ele citou a revitalização e a ampliação da pista do aeroporto.

“Foz do Iguaçu foi presenteada com um belo e moderno aeroporto que certamente contribuirá para animar a economia da cidade em sua retomada”, disse. Enumerou, ainda, as obras da segunda ponte internacional Brasil-Paraguai, Hospital Ministro Costa Cavalcanti, Perimetral Leste e do Mercado Municipal.

Grupos de trabalho

Após discussão sobre as pautas de desenvolvimento a serem entregues ao Legislativo e ao Executivo municipais, e das medidas para a implementação do Escritório de Atração e Recepção de Investimentos, foram criados dois grupos de trabalho. Esses colegiados do Acelera Foz subsidiarão a Coordenação Estratégica na condução das ações.

Acelera Foz

Voltado à retomada econômica de Foz do Iguaçu, o programa tem a coordenação estratégica do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Foz do Iguaçu (Codefoz), Itaipu Binacional, Parque Tecnológico Itaipu (PTI), Prefeitura de Foz do Iguaçu, Sebrae, Programa Oeste em Desenvolvimento (POD), Associação Comercial e Empresarial (ACIFI) e Conselho Municipal de Turismo (Comtur).

Entre ganho de novos clientes e aumento de receitas,…

Com benefícios aos empreendedores, empresas, mercado e sociedade, soluções apresentadas pelo Desafio Inova Oeste ajudam a fortalecer a economia da região

Proporcionando apoio técnico por meio de seus especialistas em inovação e negócios, o Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR), contribuiu para que as 10 empresas contempladas do Desafio Inova Oeste obtivessem resultados animadores e relevantes.

Promovido pelo Programa Acelera Foz, Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR), Itaipu Binacional, Sistema Regional de Inovação (SRI), Programa Oeste em Desenvolvimento e Iguassu Valley, com realização do Sebrae Paraná e a Fundação Araucária, a segunda edição do Desafio Inova Oeste foi lançada no segundo semestre de 2020, como um dos mecanismos desenvolvidos com vistas ao enfrentamento à crise desencadeada pela Covid-19.

Após capacitações e mentorias, boas ideias de inovação e diversas soluções tecnológicas foram apresentadas pelos empreendedores, o que resultou em indicadores consideráveis às empresas como o aumento de suas receitas, ganho de clientes, prospecção de novos clientes, expansão para outros municípios, e mais.

O Parque Tecnológico tem dado todo aporte necessário aos empresários para que seus projetos sejam impulsionados visando a implementação de soluções tecnológicas a partir da criação ou a melhoria de produtos, serviços e processos, que buscam promover o desenvolvimento da região Oeste do Paraná. Já os recursos financeiros investidos, foram aplicados em compras de equipamentos, bolsas de pesquisa e consultorias tecnológicas.

De acordo com o diretor de Negócios e Inovação do PTI-BR, Rodrigo Regis, “as startups trazem soluções inovadores para as quais ainda não se têm um histórico ou parâmetro do mercado, consequentemente, se trabalha com alto grau de incerteza e não se consegue aplicar os métodos tradicionais de gestão e administração. Neste cenário, o PTI com sua equipe qualificada e aplica métodos consagrados em gestão de startups que facilitam o desenvolvimento e validação dos negócios, mas destaco que não adiantaria investir recursos financeiros se não fosse o comprometimento dos empreendedores. Esse engajamento é fundamental e benéfico, uma vez que os empreendedores passam a adquirir novos skills e conhecimentos, as empresas alavancam seus negócios, o mercado ganha novas parcerias, a sociedade usufrui das soluções desenvolvidas e, dessa forma, fortaleceremos a nossa economia”.

Nesta etapa do Desafio, os participantes encontram-se em processo de pré-aceleração, ou seja, estão entrando no mercado. Com finalização prevista para abril deste ano, a última fase do Desafio não será sinônimo de despedida entre os especialistas do PTI-BR e os empreendedores. O contato permanecerá por aproximadamente mais 3 anos, entre apoio técnico e demais assessorias necessárias.

Acelera Foz apresentará pauta de desenvolvimento econômico à Câmara…

Propostas visam a atrair investimentos e a gerar empregos e renda no município.

O Acelera Foz enviará sugestões para o desenvolvimento econômico do município à Câmara de Vereadores, que poderão ser convertidas em projetos, atualização da legislação e demandas a serem defendidas pelo Legislativo. As propostas começaram a ser definidas em reunião da Coordenação Estratégica, sexta-feira, 5.

A medida representa a continuidade do diálogo entre as instituições da sociedade civil organizada e os parlamentares da nova legislatura. Antes da posse dos vereadores, em dezembro de 2020, foi realizado um encontro em que foram apresentadas as ações prioritárias para o crescimento de Foz do Iguaçu.

Entre as proposições discutidas estão a efetivação do fundo de desenvolvimento econômico, revitalização de áreas urbanas para fomentar o turismo e a qualidade de vida dos moradores, e capacitação profissional. A regulamentação de concessões para atividades em espaços públicos também está na pauta.

As formulações ainda abrangem a melhoria da sinalização visual, ampliação da lei de inovação, incentivo ao setor de biotecnologia e política de compras exclusivas para fornecedores locais. Formas de estímulo a empresas de tecnologia e criação de condomínio empresarial e industrial fazem parte das medidas estudadas.

“Não podemos perder tempo, temos que alavancar a retomada do desenvolvimento econômico de Foz do Iguaçu, atrair investimentos, gerar vagas de trabalho e renda”, afirmou Mario Camargo, presidente do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (Codefoz). “Precisamos de todas as instituições alinhadas a esse objetivo”, completou.

Consultor do Sebrae, Marcelo Padilha explica que inicialmente foi solicitado o envio de propostas por organizações da sociedade civil, órgãos de classe, conselho de desenvolvimento e lideranças públicas e empresariais. As proposições iniciais foram discutidas na reunião do Acelera Foz, e novas sugestões foram incorporadas.

“A apresentação das propostas de desenvolvimento econômico ao Legislativo foi definida em dezembro do ano passado, em um primeiro encontro com a nova legislatura”, rememorou. “O que estamos elaborando são propostas com o entendimento da sociedade civil para fomentar a economia da cidade”, completou Marcelo.

Acelera Foz

Parte do plano de retomada econômica da cidade, o programa tem a coordenação estratégica do Codefoz, Itaipu Binacional, Parque Tecnológico Itaipu, Prefeitura de Foz do Iguaçu, Sebrae, Programa Oeste em Desenvolvimento, ACIFI e Conselho Municipal de Turismo.

(Acelera Foz)

Transformação da Vila A no primeiro bairro público inteligente…

A previsão é que a instalação das soluções que integram a primeira entrega do projeto seja concluída ainda em dezembro de 2020.

Quem passa pela Vila A já percebe que o bairro passa por mudanças, mas talvez não saiba ainda que vai se tornar referência para todo o Brasil. Em um ponto do bairro, há obras para receber semáforos inteligentes. Em outro, para a troca dos pontos de ônibus, que passarão a ter informações sobre o itinerário. Há ainda uma série de outras adaptações para receber as tecnologias que o tornarão o primeiro bairro público inteligente do país.  

A previsão é que a instalação das soluções que integram a primeira entrega do projeto seja concluída ainda em dezembro deste ano. A iniciativa é promovida pelo Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR) e Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, em parceria com a Itaipu Binacional, Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu e Companhia Paranaense de Energia (Copel). 

A implantação desta primeira fase, que envolve semáforos e pontos de ônibus inteligentes, câmeras de monitoramento de placas, luminárias inteligentes com reconhecimento facial e o Centro de Controle e Operações (CCO), onde as tecnologias serão monitoradas, iniciou no final de setembro.

Já foram retirados os quatro pontos de ônibus antigos, que serão substituídos por inteligentes e terão um painel com os horários do transporte coletivo e carregamento de celular. Estão sendo instaladas as estruturas metálicas dos novos equipamentos, com previsão de término para o final desta semana.

Já os semáforos inteligentes, nos quatro principais cruzamentos do bairro, tiveram toda a parte de infraestrutura preparada, e a instalação dos equipamentos acontece na próxima semana. Os semáforos inteligentes possuem Inteligência Artificial, que permite a otimização do tempo de passagem conforme o fluxo nas vias do bairro e a detecção, por exemplo, de ambulâncias, garantindo maior agilidade no atendimento das vítimas. Também serão instalados semáforos para pedestres.

Os postes e caixas de inteligência da iluminação inteligente estão prontos e, a partir da próxima semana, as luminárias e câmeras de reconhecimento facial começam a ser implementadas. O Centro de Controle e Operações, que vai funcionar na Concha Acústica do Gramadão, está com quase tudo finalizado para iniciar o monitoramento de todas essas soluções, que têm o objetivo de proporcionar melhorias na rotina e, por consequência, na qualidade de vida não apenas dos moradores da Vila A, como de toda a cidade.

“Além de aumentar a qualidade de vida dos cidadãos, o Vila A Inteligente pretende trazer a Foz do Iguaçu novas empresas interessadas em validar suas tecnologias. Isso vai permitir a diversificação da economia da cidade e a geração de novos empregos e renda”, destacou o diretor superintendente do Parque Tecnológico, general Eduardo Garrido.

De acordo com Tiago Faierstein, líder do projeto Cidades Inteligentes da ABDI, a partir da entrega da primeira fase do projeto, pretende-se trazer a Foz do Iguaçu gestores de todo o Brasil para conhecer a iniciativa. “Queremos sensibilizá-los em relação à importância da tecnologia para melhorar a qualidade de vida do cidadão. Para isso, traremos caravanas de prefeitos e gestores públicos para que vejam a transformação da Vila A”, salientou.

O secretário de Tecnologia da Informação e coordenador do Vila A Inteligente pela Prefeitura de Foz, Evandro Ferreira, comentou que o trabalho para efetivação desta primeira fase tem sido intenso. “Vejo o avanço exponencial da implantação das tecnologias, com expectativa de que o mais breve possível esteja tudo disponível para os moradores do bairro e a cidade de Foz do Iguaçu”, afirmou.

“Essas tecnologias, que em poucos dias começarão a ser experimentadas por todos aqueles que transitam pela Vila A, são apenas o início da mudança do bairro, que terá uma dinâmica muito mais otimizada na interação com os serviços e espaços públicos. Muito ainda está por vir.”, salientou Garrido.

Primeiro bairro público inteligente do Brasil tem logomarca escolhida…

Com a logomarca, fica tudo pronto para a divulgação das ações, que começam a ser vistas pela população da cidade. 

A disputa para escolher a logo do Programa Vila A Inteligente foi apertada, mas a opção dois saiu na frente e vai dar a cara da iniciativa que transforma a Vila A, em Foz do Iguaçu, no primeiro bairro público inteligente do país. Com a logomarca, fica tudo pronto para a divulgação das ações, que começam a ser vistas pela população da cidade. 

A votação da logo foi aberta ao público, justamente para que os próprios cidadãos escolhessem a opção preferida de um projeto que tem como proposta envolver a comunidade, uma vez que as tecnologias que serão implementadas visam promover a melhoria do bem-estar e da qualidade de vida. 

A opção dois, que obteve o maior número de votos, foi feita pela publicitária Jaqueline Ferreira dos Santos, do Parque Tecnológico Itaipu (PTI), uma das instituições promotoras do programa, em conjunto com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), a Itaipu Binacional e a Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu. A arte da logomarca escolhida usa a ligação de pontos, que representam as tecnologias instaladas, para formar as letras iniciais do nome do bairro (VA). 

“Agradecemos aos demais profissionais que com suas expertises e criatividades contribuíram com as outras opções de logomarca para o Vila A Inteligente. Ficamos satisfeitos em observar que começamos a atingir o objetivo de envolver a população no projeto”, afirma o diretor superintendente do Parque Tecnológico, General Eduardo Garrido. “Esse é um projeto da cidade de Foz do Iguaçu, que começa pela Vila A, mas a depender do sucesso é possível estender para outras regiões da cidade e até para outros municípios do país”, complementa. 

Em andamento

Na última semana, foi instalado na Concha Acústica do Gramadão da Vila A, o Centro de Controle e Operações (CCO) do programa, espaço onde todas as tecnologias serão monitoradas. Nesta segunda-feira, 23, foi iniciada a substituição dos quatro pontos de ônibus que se tornarão inteligentes. A estrutura terá uma tela com os horários do transporte coletivo, carregador para celular e uma iluminação própria, a fim de aumentar a segurança dos usuários. 

Está prevista para esta semana também a implementação dos semáforos inteligentes nos quatro principais cruzamentos do bairro. Além dessas soluções, esta primeira fase da iniciativa, que deverá ser lançada nas primeiras semanas de dezembro, também contempla câmeras de monitoramento de placas e luminárias inteligentes com câmeras com reconhecimento facial.

Integração entre estudantes e empresários deve criar oportunidades para…

Diretores do Parque Tecnológico Itaipu visitaram alguns dos projetos que estão sendo desenvolvidos por acadêmicos e empresários do Programa Integração Universidade Empresa

As atividades do Programa Integração Universidade Empresa, uma das ações do Programa Acelera Foz, continuam a todo vapor com o desenvolvimento de pesquisas envolvendo estudantes de diferentes instituições de ensino e empresários locais. Diretores do Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR) – instituição responsável por fazer a integração entre as empresas e as universidades – visitaram alguns dos projetos que estão em andamento.

OUÇA AQUI OS DEPOIMENTOS DA VISITA. 

Segundo o diretor superintendente do PTI-BR, general Eduardo Garrido, o objetivo da aproximação in loco foi estreitar relações com os atores envolvidos nas iniciativas, além de ouvir as impressões sobre o desenvolvimento das atividades, visando a validação do método do Programa.

“Apesar de ser um resultado parcial, temos a percepção que está sendo uma vivência muito proveitosa tanto para a empresa quanto para os estudantes. Esse feedback será muito importante para a continuidade do Programa no próximo ano”, explicou Garrido. 

Pesquisas e oportunidades

A primeira parte da visita foi na fábrica da empresa Trilha do Açaí, que em conjunto com estudantes do Centro Universitário UniAmerica, está desenvolvendo uma série de pesquisas para análise da viabilidade do plantio e manejo do Açaí-Jussara (Euterpe oleraceae) no município, buscando suprir a alta demanda pelo insumo. 

O diretor da empresa, Werley Andriel Borges, destacou que os estudos possuem potencial de movimentar uma nova cadeia produtiva na região. “Se os resultados do plantio forem exitosos, será um novo produto para o Oeste do Paraná que pode gerar renda e, quem sabe, até o arranjo de uma nova cooperativa”, vislumbrou o empresário.

Açaí-Jussara (Euterpe oleraceae) pode ser um importante produto para região Oeste do Paraná. Foto: Kiko Sierich 

Para a estudante do 4º período do curso de agronomia da UniAmerica, Maria Eduarda Santos Nóbrega, a iniciativa “é uma oportunidade para entrada no mercado de trabalho, já que Foz do Iguaçu não possui um campo de atuação muito amplo no seguimento”. Esta é a primeira experiência da futura agrônoma, de 19 anos, com a profissão.

Aprendizado na prática

A segunda empresa visitada foi a Capta Solar. Neste caso, as pesquisas com alunos de engenharia da Unioeste estão voltadas para o processo de dimensionamento de sistemas de energia solar fotovoltaica, especificamente na região Oeste do Paraná.
Imann Tarbine, supervisora dos alunos no Programa, esclareceu que as pesquisas – inéditas na região – devem impactar significativamente o modelo de negócio da empresa, garantindo maior assertividade nos cálculos para as necessidades dos clientes. 

Os estudantes estão realizando um estudo sobre as perdas nos sistemas fotovoltaicos e um aplicativo para dimensionamento da tecnologia. De acordo com Imann, “as ações estavam nos planos da empresa, mas só saíram do papel após início das atividades do programa”.

Segundo Marcelo Bernartt do 5º ano de Engenharia elétrica da Unioeste, a iniciativa está sendo fundamental para o aprendizado prático dos conceitos técnicos abordados em sala de aula. 

Pesquisas realizada com bolsistas da Capta Solar são inéditas na região. Foto: Kiko Sierich

O Diretor de Negócios e Inovação do Parque Tecnológico Itaipu, Rodrigo Régis, avaliou de forma bastante positiva o andamento das atividades do Programa Integração Universidade Empresa e apontou um cenário positivo para o futuro da cultura de inovação em Foz do Iguaçu e região. 

“A participação do Parque Tecnológico Itaipu na promoção da cultura da inovação, é fazer essa sinergia entre diferentes atores locais. Esperamos que nos próximos cinco ou dez anos esse conceito já esteja no DNA de Foz do Iguaçu e região. As visitas de hoje mostraram que estamos alcançando o objetivo planejado para o Programa.”, finalizou Régis.