Integração entre estudantes e empresários deve criar oportunidades para geração de renda no Oeste do Paraná

Diretores do Parque Tecnológico Itaipu visitaram alguns dos projetos que estão sendo desenvolvidos por acadêmicos e empresários do Programa Integração Universidade Empresa

As atividades do Programa Integração Universidade Empresa, uma das ações do Programa Acelera Foz, continuam a todo vapor com o desenvolvimento de pesquisas envolvendo estudantes de diferentes instituições de ensino e empresários locais. Diretores do Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR) – instituição responsável por fazer a integração entre as empresas e as universidades – visitaram alguns dos projetos que estão em andamento.

OUÇA AQUI OS DEPOIMENTOS DA VISITA. 

Segundo o diretor superintendente do PTI-BR, general Eduardo Garrido, o objetivo da aproximação in loco foi estreitar relações com os atores envolvidos nas iniciativas, além de ouvir as impressões sobre o desenvolvimento das atividades, visando a validação do método do Programa.

“Apesar de ser um resultado parcial, temos a percepção que está sendo uma vivência muito proveitosa tanto para a empresa quanto para os estudantes. Esse feedback será muito importante para a continuidade do Programa no próximo ano”, explicou Garrido. 

Pesquisas e oportunidades

A primeira parte da visita foi na fábrica da empresa Trilha do Açaí, que em conjunto com estudantes do Centro Universitário UniAmerica, está desenvolvendo uma série de pesquisas para análise da viabilidade do plantio e manejo do Açaí-Jussara (Euterpe oleraceae) no município, buscando suprir a alta demanda pelo insumo. 

O diretor da empresa, Werley Andriel Borges, destacou que os estudos possuem potencial de movimentar uma nova cadeia produtiva na região. “Se os resultados do plantio forem exitosos, será um novo produto para o Oeste do Paraná que pode gerar renda e, quem sabe, até o arranjo de uma nova cooperativa”, vislumbrou o empresário.

Açaí-Jussara (Euterpe oleraceae) pode ser um importante produto para região Oeste do Paraná. Foto: Kiko Sierich 

Para a estudante do 4º período do curso de agronomia da UniAmerica, Maria Eduarda Santos Nóbrega, a iniciativa “é uma oportunidade para entrada no mercado de trabalho, já que Foz do Iguaçu não possui um campo de atuação muito amplo no seguimento”. Esta é a primeira experiência da futura agrônoma, de 19 anos, com a profissão.

Aprendizado na prática

A segunda empresa visitada foi a Capta Solar. Neste caso, as pesquisas com alunos de engenharia da Unioeste estão voltadas para o processo de dimensionamento de sistemas de energia solar fotovoltaica, especificamente na região Oeste do Paraná.
Imann Tarbine, supervisora dos alunos no Programa, esclareceu que as pesquisas – inéditas na região – devem impactar significativamente o modelo de negócio da empresa, garantindo maior assertividade nos cálculos para as necessidades dos clientes. 

Os estudantes estão realizando um estudo sobre as perdas nos sistemas fotovoltaicos e um aplicativo para dimensionamento da tecnologia. De acordo com Imann, “as ações estavam nos planos da empresa, mas só saíram do papel após início das atividades do programa”.

Segundo Marcelo Bernartt do 5º ano de Engenharia elétrica da Unioeste, a iniciativa está sendo fundamental para o aprendizado prático dos conceitos técnicos abordados em sala de aula. 

Pesquisas realizada com bolsistas da Capta Solar são inéditas na região. Foto: Kiko Sierich

O Diretor de Negócios e Inovação do Parque Tecnológico Itaipu, Rodrigo Régis, avaliou de forma bastante positiva o andamento das atividades do Programa Integração Universidade Empresa e apontou um cenário positivo para o futuro da cultura de inovação em Foz do Iguaçu e região. 

“A participação do Parque Tecnológico Itaipu na promoção da cultura da inovação, é fazer essa sinergia entre diferentes atores locais. Esperamos que nos próximos cinco ou dez anos esse conceito já esteja no DNA de Foz do Iguaçu e região. As visitas de hoje mostraram que estamos alcançando o objetivo planejado para o Programa.”, finalizou Régis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *